Problemas na instalação elétrica residencial pode causar diversos riscos, desde o aumento exagerado na conta de luz, curtos-circuitos e até mesmo na queda de energia.

 Para garantir a segurança do seu lar, antes de planejar cuidadosamente a instalação elétrica e procurar ajuda de um bom profissional, é preciso entender qual a diferença entre os fios e cabos elétricos.

Assim, fica muito mais fácil saber o que procurar em uma loja de material de construção para te ajudar a encontrar a solução para o seu problema.

A diferença entre fios e cabos elétricos

Ambos são condutores elétricos, ou seja, conduzem a corrente elétrica para ligar seus eletroeletrônicos e lâmpadas por exemplo. Não apresentam diferenças na condução de corrente elétrica quando os cabos e fios apresentam a mesma espessura.

Eles geralmente são feitos de cobre e revestidos com algum material isolante, como PVC e borracha nitrílica. A diferença entre eles é que o fio é composto por um único filamento, por isso é rígido e não pode ser dobrado. O cabo já possui vários filamentos finos que garantem maior flexibilidade.

Qual a melhor opção?

A durabilidade de ambos também não diferem. Então, a melhor opção entre um e outro vai depender de qual vai ser o local onde serão utilizados.

O fio costuma ser usado em quadros elétricos e instalações mais simples, já o cabo é mais recomendado para tipos variados de instalações, porque desliza com mais facilidade entre os dutos, por ser mais flexível.

Mas, é importante ficar atento às espessuras dos condutores.

De acordo com a norma brasileira de instalações elétricas de baixa tensão, a seção mínima em circuitos de iluminação é de 1,5 mm² e para os circuitos de força, como os das tomadas por exemplo, a espessura mínima é de 2,5 mm².

Para tomadas de uso geral (TUG) a amperagem pode chegar a 10A (ampéres), já as tomadas de uso específico (TUE) são acima de 10A, normalmente encontramos de 20A. A exemplo disso: churrasqueiras elétricas, cafeteiras de médio porte entre outros eletrodomésticos específicos.

Emanuel Souto
Arquiteto

Por isso é importante contar com um profissional que saiba das normas, para que os fios ou cabos condutores possam ser inseridos e retirados com facilidade do tubo, além de saber qual a espessura ideal para cada tipo de aparelho que você usa na sua casa e qual a capacidade dos disjuntores.

O significado das cores

Os cabos e fios elétricos possues diferentes espessuras (bitolas) e cores. Cada uma dessas características os diferencia dentro de um circuito elétrico.

Cada cor significa uma função nos fios e cabos:

  • Azul

Representa um condutor neutro, ou seja, que não possui tensão e que funciona apenas como retorno da corrente elétrica.

  • Verde com listra amarela

O popular fio terra, é um condutor de proteção que devia para o solo a corrente que escapa dos fios, evitando assim os choques.

Normalmente este fio é verde com listra amarela que pela norma pode ser apenas verde.

  • Vermelho, branco ou cinza

Esses são os condutores que possuem carga.

Podem ser quaisquer cor que não sejam: Verde, amarelo, azul ou preto.

O fio preto e o amarelo comumente são utilizados como retorno nas instalações. Na maioria das instalações nos Estados Unidos o fio branco é utilizado como retorno.

diferença entre fios e cabos
Realize manutenções preventivas em sua rede elétrica.

Agora que você já sabe a diferença entre os fios e cabos elétricos, é importante ficar atento aos sinais de desgastes e sobrecarga no sistema, como por exemplo na queda nos disjuntores.

Para evitar dores de cabeça, o certo é fazer uma revisão completa quando a instalação completar 10 anos.

Após esse período, o recomendado é fazer a cada 5 ou 6 anos para verificar os estados dos fios, cabos, dutos, interruptores e tomadas.

Assim, você consegue evitar problemas futuros na instalação elétrica da sua casa.

Autora: Rafaela Fernandes

Jornalista formada pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS).