Home Notícias Bermas nas estradas são refúgio para abelhas e outros polinizadores, diz estudo

Bermas nas estradas são refúgio para abelhas e outros polinizadores, diz estudo

acostamento das estradas, com flores

As bermas (acostamentos) das estradas servem de refúgio às espécies de polinizadores em declínio e a sua vegetação deve ser cortada menos frequentemente, concluiu um estudo da Universidade de Exeter.

Para as abelhas, borboletas, moscas-das-flores e outros polinizadores em declínio, as bermas das estradas com vegetação são um refúgio vital, que lhes oferece alimento e abrigo, concluiu um novo estudo da Universidade de Exeter.

Os pesquisadores estimam que as moscas das flores importem de três bilhões a oito bilhões de grãos de pólen para o sul da Inglaterra na primavera, e então levem de três bilhões a 19 bilhões de grãos de pólen com elas quando voam para o sul no outono.

Cada mosca das flores pode viajar de 80 a 160 quilômetros por dia, e em um ano de migração elas podem passar por várias gerações. Essa migração em massa tem uma enorme influência sobre o meio ambiente. Chapman e seus colegas estimam que as larvas produzidas pela migração das moscas todos os anos no sul da Inglaterra devorem uma média de seis trilhões de pulgões – que, juntos, pesam cerca de sete mil toneladas.

Pulgões – © Bruno CBarbosa. All rights reserved.

Os afídeos, popularmente chamados de pulgões, são pragas que frequentemente causam danos a diversos tipos de plantas pelo enfraquecimento: como couve, brócolis, algodão, morango e roseiras, e também pela transmissão de vírus.

Os pulgões tem parelhos bucais sugadores em forma de agulha de seringa chamado de estilete. Ao se alimentarem, inserem seu estilete nos vasos das plantas e se alimentam da seiva delas, causando danos diretos, pois provocam murcha generalizada, o enrugamento das folhas e a paralisação do desenvolvimento das plantas.

Podem também trazer danos indiretos causados pela grande quantidade de açúcares eliminados na forma de “honeydew”, formando um meio rico para o desenvolvimento do fungos, os quais prejudicam a respiração e a fotossíntese das plantas, assim como transmissão de fitovírus, fazendo que a planta adoeça e morra.

O que são as bermas das estradas?

Significado de Bermas nas estradas ou acostamentos
O mesmo que acostamento. O termo berma é usado no português europeu para designar o acostamento de uma estrada ou rodovia.

Apesar da sua importância, a vegetação destes espaços é cortada no verão, o que elimina as flores silvestres e torna as bermas inúteis para os polinizadores durante semanas ou mesmo meses. 

O estudo também revelou que os polinizadores preferem as estradas menos movimentadas e a parte da berma que se encontra mais para dentro, ou seja, que não ladeia diretamente a estrada. 

“As bermas das estradas podem proporcionar um espaço fantástico para os polinizadores e as flores silvestres, algo que tantas vezes falta às nossas paisagens agrícolas”, disse Ben Phillips, principal autor do estudo.

“Mas a gestão é a chave – a vegetação de alguns destes acostamentos precisa de ser cortada por razões de segurança, mas, atualmente, cortamos muito mais do que precisamos.”

Ben Phillips
abelhas nas flores à bermas nas estradas

“Na maior parte dos casos, as plantas são cortadas durante o verão – no pico da floração –, mas, sempre que possível, deveriam ser deixadas até ao outono, quando os polinizadores estão menos ativos”, explicou o investigador. 

“Os nossos resultados mostram que a parte das bermas que se encontra a menos de dois metros da estrada contém o menor número de polinizadores. Esta é, muitas vezes, a parte que precisa de ser cortada por razões de segurança e visibilidade rodoviárias; por isso, quando possível, só esta secção deveria ser cortada no verão.” 

No Reino Unido, onde 97% dos prados de flores desapareceram desde os anos 30, uma campanha da organização de conservação Plantlife pede uma melhor gestão das bermas das estradas com vista à proteção da vida selvagem e inclui uma petição que já conseguiu mais de 80 mil assinaturas. A principal mensagem da campanha – corroborada pelo novo estudo – é “cortar menos, cortar mais tarde”.

Bermas nas estradas depois da vegetação ter sido cortada
Berma depois da vegetação espontânea ter sido cortada | Foto: Universidade de Exeter
Fonte:https://www.infoescola.com/insetos/pulgoes/
https://www.theuniplanet.com/2019/08/bermas-das-estradas-sao-refugio-para-abelhas-polinizadores-estudo.html
https://gauchazh.clicrbs.com.br/tecnologia/noticia/2019/06  a-importancia-das-moscas-das-flores-cjx3gyjmb011d01o9vhirdvep.html